'Till the end ♪
“Não foi desejo. Nem vontade, nem curiosidade, nem nada disso. Foi um choque elétrico meio que de surpresa, desses que te deixa com o corpo arrepiado, coração batendo acelerado e cabelo em pé . Foi sentimento . Não foi planejado, nem premeditado. Foi só um querer estar perto e cuidar, tomar todas as dores e lágrimas como se fossem suas. A vontade e o desejo vieram depois, bem depois. Não foi um lance de corpo, foi um lance de alma. Não foram os olhos, nem os sorrisos, nem o jeito de andar ou de se vestir, foram as palavras. Uma saudade e uma urgência daquilo que nunca se teve, mas era como se já tivesse tido antes. Foi amor. É amor.”
— Tati Bernandi.
“Tudo o que eu toco vira pó.
Eu não consigo segurar nada.”
~ Cartas para Deus. (via realismos)


“Hoje em dia? Bom, hoje em dia eu prefiro ficar só. Não existe briga, nem desespero na solidão. Você não é julgado, ninguém te condena pelas suas atitudes, pensamentos ou planos na solidão. Você acaba sendo só você. Você, sua bagagem, seus problemas e cargas. E mesmo que você desabe, na solidão o consolo é você. Você, e a brisa gelada do vento lá fora. E eu sempre gostei de morar em São Paulo por isso, a brisa fria que vem do nada acalma qualquer coração que arde, que dói. Meu caso não é diferente do teu, e nem mais especial. Não é caso a ser tratado como prioridade. Meu caso é ansiedade de viver, de respirar, de sair por aí e conhecer gente. De gritar e dizer o que eu penso. É só mais um caso de perda de voz, perda de sentido. É um daqueles casos de que calaram a minha voz.”
~ Eu desabo, quando me calo.

Há 21 horas · 0 notas · reblog

“Ela mora na zona norte, e eu na sul. Eu gosto de comédia e ela de terror. Nós brigamos muito fácil, mas isso já é normal. Ela curte The Script mas eu prefiro OneRepublic. O número da sorte dela é 28, o meu é 82. Ela é rosa, e eu azul. Mas apesar das intrigas e diferenças, você sabe que isso tudo tem nome, né?”
~ Classificar em diário de um bêbado (via opostos)






promisse ©